COMO SAIR DA ZONA DE CONFORTO EM 7 PASSOS CURTOS, SIMPLES E DESCONFORTÁVEIS

O QUE É ZONA DE CONFORTO?

A zona de conforto é o estado em que nos encontramos quando estamos acostumados a um determinado tipo de comportamento e/ou atitude que nos traga uma sensação de segurança.

Se você trabalha no mesmo emprego há algum tempo, mesmo estando insatisfeito com ele, provavelmente você está na sua zona de conforto.

Se você tem vontade de conhecer homens ou mulheres interessantes para se relacionar, mas não faz nada a respeito, é garantia de que você está na sua zona de conforto.

Se você tem vontade de conhecer outros lugares, mas tem medo de se perder porque não conhece o caminho. Sim! Você está na sua zona de conforto.

“Todo Progresso Acontece Fora Da Zona De Conforto.” – Michael John Bobak

POR QUE DEVEMOS SAIR DA NOSSA ZONA DE CONFORTO?

Para que possamos está “abertos” e atentos as oportunidades que a vida nos traz. Você sabia que “o seu mundo interior” pode ser maior do que você pensa?

A vida nos oferece possibilidades incríveis, e para aproveitá-las temos que manter a mente “aberta”. Para expandir “o seu mundo” temos que ler mais, viajar mais, conhecer novos lugares, novas pessoas, novas culturas…

Tire esse tapa-olho no lado dos seus olhos, expanda seus horizontes, você pode e é melhor do que isso e tudo que precisa fazer é sair do lugar e dar o primeiro passo. Vá com FÉ!

Tem um mundo enorme e feito para você brilhar te esperando lá fora, acredite.

Se tiver oportunidade assista ao filme The Truman Show (Wiki) (O Show de Truman), ele traz um pouco disso, o filme mostra a vida de Truman Burbank (Jim Carrey) um pacato vendedor de seguros que leva uma vida simples com sua esposa Meryl Burbank (Laura Linney).

No filme, Truman tinha tudo, um bom trabalho, uma boa esposa e tudo corria a mil maravilhas na vida dele.

Assim como acontece em alguns momentos da vida da gente quando estamos na nossa zona de conforto, vivendo sem nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco.

Mas Truman sabia que a sua vida era mais do que aquilo, de alguma forma ele sabia, e embarca em uma busca para descobrir “um novo mundo”. E quando ele está tentando deixar “o seu mundo”, alguém diz para ele que não há mais verdade “no mundo real” do que “o mundo dele”. Claro que ele rompe essa barreira e descobre algo maior.

O mesmo acontece com a gente quando estamos tentando sair da nossa zona de conforto. É como se houvesse uma voz dizendo aos nossos ouvidos: “É arriscado demais… Você não é capaz… É difícil… Isso não é para você…”.

Sair da zona de conforto nos permite realizar coisas incríveis.

Quando você sentir um frio na barriga é porque está prestes a romper a sua zona de conforto. O seu corpo vai travar e você vai ter que fazer algo, achar uma saída, uma solução para que ele destrave e possa prosseguir em frente.

Eu já tive várias situações como essa, e uma bem poderosa foi descer de tirolesa, acho que a maior aqui no Brasil. E sabe qual foi a saída? Fechei os olhos e disse moço pode empurrar (lá ele! 🙂 ), pois mesmo vendo minha esposa descer sã e salva, meu corpo estava travado, pois minha mente dizia: Você é maluco, isso é perigoso!

desafio da tirolesadesafio da tirolesa 2

“Grandes Empreendedores Estão Confortáveis Em Estarem Desconfortáveis.” – Steve Blank

DESAFIANDO O CONFORTO

As ações mais importantes nunca são confortáveis.

Felizmente, é possível se acostumar ao desconforto, e assim vencê-lo.

Para ter um estilo de vida incomum, você precisa desenvolver o hábito incomum de tomar decisões, por você e pelos outros.

Segue abaixo 7 exercícios curtos, simples e desconfortáveis para você fazer. Marque-os na sua agenda e não tente mais de um desafio de conforto de cada vez:

1 – APRENDA A ENCARAR OS OLHOS DOS OUTROS (2 DIAS)

Pelos próximos dois dias, pratique olhar nos olhos das pessoas – seja de pessoas que passam por você na rua ou pessoas com quem você conversa – até que elas quebrem o contato visual. Dicas:

  • Focalize um dos olhos do interlocutor e não deixe de piscar, para não parecer um psicopata ou tomar um chute na bunda 🙂
  • Durante a conversa, mantenha o contato olho no olho enquanto você fala. Enquanto você está ouvindo é fácil.
  • Pratique com pessoas maiores ou mais confiantes do que você. Se um transeunte perguntar porque raios você está olhando para ele, apenas sorria e responda: “Desculpe-me, mas pensei que você fosse um velho amigo meu.”

2 – APRENDA A PROPOR (2 DIAS)

Pare de pedir opiniões e comece a propor soluções. Comece com coisas pequenas. Se alguém vai perguntar, ou pergunta: “Onde vamos comer?”. “Que filme deveríamos ver?”. “O que vamos fazer hoje à noite?”. ou algo similar, NÃO responda com “Bem, o que você quer fazer…?”. Ofereça uma solução. Pare com as idas e vindas e tome uma decisão. Pratique isto nos meios profissional e pessoal. Eis aqui uma pequena lista de frases que podem ajudar:

“Posso dar uma sugestão?”

“Proponho…”

“Gostaria de propor…”

“Sugiro que…O que você acha?”

“Vamos tentar…e depois a gente tenta outra coisa se não der certo.”

3 – CONSEGUIR NÚMEROS DE TELEFONES (2 DIAS)

Assegurando manter olhos nos olhos, peça o número do telefone de pelo menos duas (quanto mais você tentar, mais fácil se tornará) pessoas atraentes do sexo oposto, a cada dia. Moças, isso significa que vocês também estão no jogo, e não importa se vocês tiverem 50 anos ou mais. Lembre-se de que o verdadeiro objetivo não é conseguir os números, mas vencer o medo de perguntar, de modo que o resultado não é importante. Se você está num relacionamento, simplesmente descarte os números quando os conseguir. Vá a um shopping center, se quiser adquirir alguma prática rapidamente e coloque como meta abordar três pessoas em seguida, em no máximo cinco minutos. sinta-se à vontade para usar alguma variação do seguinte roteiro:

“Com licença. Eu sei que isso vai parecer estranho, mas, se eu não perguntar agora, vou ficar martelando o resto do dia. Estou correndo para ir encontrar um amigo, mas achei você realmente [extremamente, incrivelmente] linda [maravilhosa, gostosa]. Você me daria seu telefone? Não sou um psicopata – garanto. pode me dar um número falso se não estiver interessada.”

4 – REVISITE OS TERRÍVEIS DOIS (2 DIAS)

Pelos próximos dois dias, faça como todas as boas crianças de 2 anos de idade e diga “não” a todos os pedidos. Não seja seletivo. Recuse todas as coisas que podem ser recusadas sem que você seja demitido imediatamente. Seja egoísta. Assim como no último exercício, o objetivo não é o resultado – que nesse caso seria eliminar todas as coisas que desperdiçam tempo – , mas o processo: tornar confortável dizer “não”. Questões em potencial para se dizer não incluem:

Você tem um minuto?

Quer assistir a um filme hoje à noite/amanhã?

Você poderia me ajudar com X?

“Não” deve ser a resposta padrão para todos os pedidos. Não invente mentiras elaboradas ou você será pego por elas. Uma resposta simples – “Realmente não posso, desculpe. Estou com trabalho demais aqui para fazer” – servirá como resposta genérica.

5 – USE A CRÍTICA-SANDUÍCHE (2 DIAS E SEMANALMENTE)

Há uma boa probabilidade de que alguém – seja um colega de trabalho, seu chefe, um cliente ou seu cônjuge – faça algo irritante.

Em vez de evitar o assunto por medo de uma discussão, vamos dourar a pílula e pedir a eles que se corrijam. Uma vez por dia, durante dois dias, e depois todas as quintas-feiras (de segunda a quarta é muito tenso, sexta é muito relaxado) durante as próximas três semanas, decida usar a crítica-sanduíche com alguém. Anote em sua agenda. Isso se chama crítica-sanduíche porque primeiro você elogia a pessoa por alguma coisa, então faz a crítica, e conclui com um elogio para fugir do assunto delicado. Eis aqui um exemplo com um superior, com as palavras-chave destacadas:

Você: Olá, Mara. Tem um minutinho?

Mara: Claro, o que há?

Você: Antes, eu queria agradecer por me ajudar com aquele problema com o cliente X [ ou qualquer coisa]. Fico muito agradecido por você ter me mostrado como resolver aquele problema. Você é realmente muito boa com essas questões técnicas.

Mara: Não tem de quê.

Você: A questão é: (Não chame de problema se você puder evitar.) todo mundo está cheio de trabalho, e eu estou me sentindo (ninguém pode discutir os seus sentimentos, então use essa expressão para evitar discutir sobre circunstâncias externas) um pouco sobrecarregado. Normalmente, as prioridades, ficam muito claras para mim, (Perceba que foi retirado “você” da frase, para evitar apontar diretamente, ainda que esteja implícito. “Normalmente você deixa as prioridades claras” parece um insulto. Se você estiver falando com seu cônjuge, você pode pular essa formalidade, mas nunca use “você sempre faz x”, que é apenas a ignição de uma briga.), mas ultimamente tenho tido dificuldades em saber que tarefas são prioritárias na lista. Você poderia me ajudar indicando quais são as coisas mais importantes quando houver um limite de tarefas? Tenho certeza de que é alguma coisa comigo, (tire um pouco da tensão com isso. Você já atingiu o ponto.) mas eu realmente ficaria feliz, e acho que ajudaria muito.

Mara: Hãã…Vou ver o que posso fazer.

Você: Isso significa muito para mim. Obrigado. Antes que eu esqueça, (“Antes que eu esqueça” é uma excelente transição para que você possa concluir o elogio e também é uma mudança de assunto que lhe permite sair do ponto sensível sem desconforto.) sua apresentação na semana passada foi excelente.

Mara: Você achou? Blá, blá, blá…

6 – ENCONTRAR YODA (3 DIAS)

Ligue para pelo menos um mentor que seja um superstar por dia, por três dias. Só mande e-mails depois de tentar ligar. É recomendado ligar antes das 8h30 ou depois de 18h para diminuir conversinhas com secretárias e outros guardiões. Tenha uma única pergunta na cabeça, uma que você pesquisou, mas não conseguiu responder sozinho. Tente figurões – CEOs, empresários muito bem-sucedidos, autores famosos, etc. – e não tente (menores para ser menos assustador. Use www.contactanycelebrity.com se precisar e baseie seu roteiro no seguinte:

Atendente: Jhonny Barr & CIA, boa tarde.

Você: Oi, aqui é João Barreto e eu gostaria, por favor, de falar com Jhonny Barr. (Dito casualmente e com confiança, apenas isso já levará você adiante incrivelmente várias vezes. “Eu gostaria de falar com o sr. / sra. x, por favor” é uma frase traidora, que revela que você não o conhece. Se você quiser aumentar as chances de conseguir falar, mas correndo o risco de parecer idiota se a secretária não cair no blefe, chame pelo primeiro nome do mentor alvo.)

Atendente: Do que se trata?

Você: Isso pode parecer um pouco estranho, (Recomenda-se esse tipo de introdução quando for pedir algo improvável de ser atendido. Isso deixa a pessoa mais maleável e curiosa o bastante para ouvir antes de cuspir um “não” automático.) mas eu sou um escritor de primeira viagem e acabei de ler sua entrevista no Time Out New York. (Isso responde as perguntas que eles terão em mente: “Quem é você e porque está ligando?”. Se quiser seja qualquer coisa “de primeira viagem” para usar isto como um simpático cartão de visita, e sempre ache algum destaque recente na mídia para citar como motivador da ligação.) Sou um fã de longa data (Se puder ligue para pessoas que sejam familiares. Se você não disser que é um fã de longa data, diga que tem acompanhado a carreira do mentor ou seus negócios durante um certo número de anos.) e finalmente tive coragem (Não finja ser forte. Deixe claro que você está nervoso e eles vão baixar a guarda. Faça isso frequentemente, mesmo quando não estiver nervoso.) para ligar para ele em busca de um conselho específico. Não vou tomar mais do que dois minutos do tempo dele. Será que que você poderia me ajudar de alguma forma a falar com ele? (As palavras aqui são críticas. Peça para que o “ajudem” em algo.) Eu realmente ficaria muito grato pelo que você porventura possa fazer.

Atendente: Hmmm…só um minuto. Deixe-me ver se ele pode atender [dois minutos depois.] Pronto Boa Sorte. [Transfere a chamada.]

Jhonny Barr: Jhonny Barr falando.

Você: Olá, sr. Barr. Meu nome é João Barreto. Sei que pode parecer um pouco estranho, mas sou um escritor de primeira viagem e um fã de longa data do seu trabalho. Acabei de ler sua entrevista no Time Out New York e finalmente criei coragem para ligar. Sempre quis lhe pedir um conselho específico, e isso não deve tomar mais do que dois minutos do seu tempo. Posso? (Apenas retrabalhe o parágrafo usado com o atendente aqui, e não perca tempo – vá direto e rapidamente ao assunto e peça permissão para puxar o gatilho.)

Jhonny Barr: Hã…OK. Vá em frente. Eu tenho um compromisso em alguns minutos.

Você: (ao final do telefonema: Muito obrigado por ser tão generoso com seu tempo. Se tiver uma eventual dúvida – muito eventual – há alguma chance de eu manter contato via e-mail(Encerre a conversa abrindo a porta para um futuro contato. Comece com e-mail e deixe a relação de mentor desenvolver-se a partir daí.)

7 – RELAXAR EM PÚBLICO (2 DIAS)

Pretende-se que esse desafio seja divertido ao mesmo tempo que mostra – sem meias palavras – que as regras que a maioria segue são nada mais do que convenções sociais. Não há limites legais que impeçam você de criar uma vida ideal para si…ou apenas de se divertir e causar confusão generalizada.

Não importa se você é homem ou mulher, se tem 20 ou 60 anos, se é mongol ou marciano 🙂

Uma vez por dia, durante dois dias, simplesmente deite no chão no meio de um lugar cheio de gente. A hora do almoço é perfeito para isso. Pode ser na calçada de uma rua movimentada, no meio de um Starbucks ou de um bar bem frequentado. Não há nenhuma técnica real envolvida. Apenas deite-se no chão e fique em silêncio no chão por mais ou menos 10 segundos, depois dos quais você se levanta e continua o que quer que estivesse fazendo antes.

Nunca se explique. Se alguém perguntar depois que você fizer isso (eles estarão muito confusos para perguntar durante os 10 segundos em que você estiver no chão), apenas responda: “Eu apenas quis me deitar um pouquinho”. Quanto menos você disser, mais divertido e mais gratificante será. Faça isso em missões solo pelos primeiros dias e depois sinta-se livre para fazer quando estiver com um grupo de amigos.

Trata-se de um protesto. Pensar na contra corrente não é o bastante. Pensar é passivo. Acostume-se a agir na contra corrente.

Abaixo segue um vídeo meu, tentando relaxar em público 😛 (não esperava essa reação tão rápida…) :

Fontes:

E aí, o que achou dos exercícios para sair da zona de conforto? Vamos Praticar?

Coloque em prática e depois divida com a gente a sua experiência deixando aqui o seu comentário.

Se fizer em vídeo, você está duas vezes mais desconfortável 😉 , se quiser deixe o link para a gente assistir.

Grande Abraço e Muito Sucesso!

João Barreto

Author: João Barreto

João Barreto é o fundador e editor do blog Autônomo na WEB! Conheceu o Marketing Digital em 2013, o que lhe proporcionou um ganho de renda extra. Após ser demitido do seu emprego em 2014, resolveu ser autônomo e fazer dinheiro através dos seus projetos na internet. É de Salvador/BA. Bacharel em Sistemas de Informação pela Faculdade Ruy Barbosa. Viciado em Games desde pequeno, gosta também de Natação, Karatê, Corrida e de viajar e conhecer esse mundo que não parece, mas é pequeno! ;)

Share This Post On
468 ad

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: